Uruguaiana faz semeadura da primeira época do experimento bioclimático de arroz irrigado

A Estação Experimental Regional da Fronteira Oeste, que fica em Uruguaiana, realizou na segunda-feira (2) a semeadura da primeira época do experimento bioclimático do arroz irrigado, pesquisa interna realizada pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). Participaram do experimento de Uruguaiana o engenheiro agrônomo Cleiton Ramão, o técnico orizicultor Jackson Brasil e a estagiária Bianca Ribeiro do 12° Nate.

“O bioclimático de arroz irrigado é um experimento de épocas de semeadura. Em um passado recente, este experimento teve o objetivo de determinar as épocas preferenciais da semeadura do arroz no Rio Grande do Sul. Ou seja, adequar cultivar e época de semear para sincronizar o desenvolvimento da planta com as melhores condições de radiação solar durante o período reprodutivo e diminuir a probabilidade de ocorrência de baixas temperaturas nos estádios críticos da planta, a fim de minimizar riscos”, explica a meteorologista do Irga, Jossana Cera.

Hoje, além deste objetivo, existe outro: o de ser um termômetro da safra. Este experimento é conduzido em locais com diferentes condições edafoclimáticas (Cachoeirinha, Santa Vitória do Palmar e Uruguaiana), onde determinam-se os principais estágios fenológicos da planta, que são posteriormente analisados em conjunto com os dados meteorológicos. Assim, se tiver alguma adversidade climática durante a safra, conseguirá ser explicado através deste experimento, pois as épocas de semeadura vão desde setembro até dezembro, abrangendo as épocas que os produtores começam a semear.

Também, as cultivares abrangem a maioria dos ciclos de maturação utilizados (precoce, médio e tardio). Nesta safra, teremos a nova cultivar do Irga, a 431 CL, a cultivar atualmente mais semeada no Estado, 424 RI, e uma cultivar de ciclo tardio, a Epagri 121 CL.

Com relação à produtividade, além de ser influenciada pelas diferentes condições meteorológicas da safra e local, esse fator responde muito à época de semeadura. Semeaduras até outubro tendem a ser as de maiores produtividades, diminuindo assim que a semeadura vai para novembro e dezembro. Por isso esse experimento foi muito importante no passado para ajustar este manejo da lavoura, que não oferece custo adicional ao produtor, justamente na época de semeadura.


Fonte: Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) 
Foto: Divulgação / Irga

Mostrar mais
Fechar