Esquiladores gaúchos participam de Capacitação em Esquila na Argentina

Na última semana (29/07 a 02/08), os esquiladores Claudiomar Batista (técnico de Esquila Tally-hi pelo Senar/Arco), André Batista e Queni Oliveira participaram dos cursos de “Esquila Suelta “New Pattern” e Acondicionamento de Lana Prolana”, realizados na Chacra Experimental de Agroindústria da Localidade de Carmen de Patagones, Província de Buenos Aires, Argentina. Participaram sete alunos de esquila e 480 ovelhas esquiladas e 12 alunos para o curso de acondicionamento e classificação em duas categorias.

Este curso ocorre periodicamente durante o ano e é destinado a esquiladores, acondicionadores de lã, produtores do setor ovino e público geral. É promovido pelo Programa Nacional de Qualidade da Produção de Lã (Prolana), da Argentina, e pela ” Ley Ovina”, que é a Lei de Incentivo à Ovinocultura naquele país, através do Ministério de Agroindústria da Província de Buenos Aires.

A realização do curso surgiu do interesse destes esquiladores em se aprimorar na profissão.  Eles viram a divulgação na internet e pediram auxílio da Emater/RS-Ascar para contatar os responsáveis na Argentina. “Contatei o coordenador do Prolana na Província de Buenos Aires, o engenheiro agrônomo Jorge Peninni, via e-mail, que prontamente reservou as vagas para os nossos esquiladores e nos passaram todas as informações necessárias para participarmos do curso. Assim, com um mês de antecedência, fomos mantendo contato e auxiliando os esquiladores a se preparem para a longa viagem”, destaca Batista, ao ressaltar que o curso é gratuito, desde as aulas teóricas e práticas, até a alimentação e hospedagem para os alunos.

André Batista fez o módulo de acondicionamento e classificação da lã com aulas teóricas e práticas e prova ao final, concluindo o curso com excelente nota. Já Claudiomar Batista e Queni Oliveira fizeram o módulo da esquila New Pattern, também obtendo excelente aproveitamento e recebendo a carteira de esquilador Prolana

Claudiomar, André e Queni são esquiladores do Método Tally-hi aqui no RS, capacitados através do Senar.

Tally-hi é um método de esquila criado na década de 40 do século passado por dois irmãos Neozelandeses, os irmãos Bowen (por isso a prática também conhecida como Método Bowen) e difundida mundialmente. No Brasil, a prática é mais recente e é difundida através do instrutor do Senar, professor Leôncio Perez, com o apoio da Emater/RS-Ascar. Nesse método o animal não é maneado (atado) e possui nove posições principais que devem ser seguidas, bem como ordenadas da tesoura mecânica através de máquina. O método proporciona menos stress ao animal e maior rendimento na colheita da lã, já que o velo não é recortando e sai inteiro do animal, além de uma série de outros benefícios ao manejo do animal, a produção de lã e ao esquilador.

O método que os esquiladores foram capacitados neste curso é denominado “New Pattern” e vem sendo praticado há três anos na Argentina. É semelhante ao Tally-hi, pois o animal é esquilado solto e contido entre as pernas do esquilador, contudo possui um número menor de passadas de tesoura por sobre o corpo do animal (35 no total) e é o método usado mundialmente para as competições de esquila solta.

“Esta é a primeira vez que temos a oportunidade de capacitar esquiladores brasileiros em um país vizinho que tem uma ovinocultura mais avançada, especialmente na produção de lã fina. Esperamos que mais esquiladores e produtores nossos possam participar desses cursos e, com o apoio das entidades ligadas ao setor, concretizarmos um programa de produção de lã de qualidade no RS, que valorize a lã dos nossos ovinocultores que produzirem e a colherem corretamente”, ressalta Elusa Santos de Andrade, médica veterinária da Emater/RS-Ascar na região de Santa Maria.

Fonte: Emater/RS-Ascar

Mostrar mais
Fechar