Em encontro com investidores, ministra defende aumento de exportações do agro para os EUA

Tereza Cristina afirmou que trocas comerciais entre os dois países podem ser ainda maiores

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou nesta quinta-feira (5) que a intenção do governo é fortalecer o comércio com os Estados Unidos, principalmente na pauta agrícola. Durante a manhã, ela participou da Latin American Cities Conference 2019: Brasília e disse que o “propósito é ampliar as trocas comerciais e diversificar a pauta, de modo que seja benefício para os dois países”.

Para uma plateia de investidores, Tereza Cristina lembrou que os EUA são o segundo principal destino das exportações brasileiras e também a segunda origem das importações. “Temos uma relação equilibrada em termos de trocas comerciais, e que pode ser ainda maior”, ressaltou. De acordo com a ministra, o comércio bilateral somou quase US$ 58 bilhões em 2018, mas os produtos agrícolas representaram apenas US$ 5 bilhões. 

Na avaliação da ministra, há oportunidades para as duas nações atuarem juntas na defesa de interesses comuns, além do aprofundamento comercial bilateral. Segundo ela, os dois países são grandes parceiros na área agrícola e têm agriculturas semelhantes, de larga escala, orientadas pelo mercado e baseadas na ciência, mas precisam superar juntos os entraves tarifários.

“Somos os grandes fornecedores de alimentos do mundo, todavia em razão desse protagonismo, pagamos o preço de enfrentar barreiras tarifárias e não tarifárias em terceiros mercados. Nossos países devem trabalhar juntos para combater essas dificuldades”, defendeu, destacando a criação do AG5, que reúne os ministros da Agricultura do Brasil, dos Estados Unidos, da Argentina, do Canadá e do México. 

Amazônia

Tereza Cristina também comentou sobre o trabalho realizado pelo governo federal para garantir a sustentabilidade na Amazônia. Nesta semana, ela esteve na região e comprovou a efetividade da Operação Verde Brasil, plano de ação de combate às queimadas.

“Não é correto associar as queimadas na Amazônia com a produção de alimentos. É preciso identificar e punir os verdadeiros culpados. A preservação ambiental é uma preocupação do país e dos produtores rurais. Ao mesmo tempo em que buscamos aumentar nossa produtividade agrícola, desenvolvemos políticas e mecanismos para proteger o meio ambiente”, disse.

Um dos mecanismos citados pela ministra para demonstrar a preocupação do Brasil com o meio ambiente foi o Código Florestal brasileiro, que exige a preservação de no mínimo 20% da área das propriedades rurais, chegando a 80% de restrição de uso de solo na Amazônia Legal.

“Além disso, o Ministério da Agricultura tem incentivado fortemente práticas de produção de baixa emissão de carbono que incluem a recuperação de pastagens degradadas, a integração Lavoura-Pecuária-Floresta e o uso de plantio direto”, concluiu.

Latin American Cities Conference

Este ano, o Council of the Americas traz pela segunda vez a sua série Latin American Cities Conference a Brasília. O evento é uma oportunidade para investidores e executivos de alto nível interagirem com algumas das principais autoridades do governo brasileiro. Entre os tópicos a serem discutidos estão as perspectivas econômicas para o país, agenda de investimentos, infraestrutura e comércio.

Além da ministra Tereza Cristina, também participam da conferência os ministros Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública).

Fonte: MAPA
Foto: Antonio Araujo/Mapa

Mostrar mais
Fechar