Discussão sobre evolução do status sanitário da aftosa reúne o Brasil na Expointer

Às vésperas do início de auditoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para avaliar as condições do Rio Grande do Sul para evoluir seu status sanitário para livre de aftosa sem vacinação, o Estado recebeu nesta sexta-feira (30) o 1º Fórum Nacional do Pnefa (Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa). O evento foi realizado no auditório central do Parque de Exposições Assis Brasil, na Expointer, em Esteio.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho, destacou a importância do fórum na Expointer: “É uma grande oportunidade de reunirmos pessoas de todo o Brasil para discutir a evolução do status sanitário dos Estados e, no caso do Rio Grande do Sul, de livre de aftosa sem vacinação, o que abrirá oportunidades comerciais importantes”.

O fórum é organizado pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), através da Divisão de Febre Aftosa, e com a colaboração da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do Sul, em parceria com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e entidades do setor.

Na abertura do evento, o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Geraldo Moraes, destacou a importância do encontro, que possibilita a produtores e gestores conhecer em um único dia a realidade nacional.

Pela manhã, foram discutidos os principais desafios do Pnefa e a participação do setor privado na implantação, execução e gestão do Plano Estratégico. “Estamos aqui ouvindo e colhendo sugestões do setor”, declarou Moraes.

Representante da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Maurício Saito reforçou a importância das ações do setor público e privado estarem de acordo. “Esse é um momento de evolução. O produtor está entendendo que o mundo exige não só alimento, mas segurança alimentar”, declarou.

O Rio Grande do Sul está no Grupo 5 do Ministério da Agricultura, cuja previsão inicial era manter a vacinação contra a aftosa até 2021 e reconhecimento de zona livre da doença sem vacinação em 2023. Na próxima segunda-feira (2), inicia-se a auditoria do Ministério da Agricultura para avaliar a possibilidade de adiantar a retirada da vacinação contra a aftosa no Estado. “Nossa expectativa é positiva, mas a avaliação técnica é que vai identificar se há segurança na tomada de decisão”, explicou Rogério Kerber, presidente do Fundesa (Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS).

O Fórum Nacional de Febre aftosa tem transmissão ao vivo pelo YouTube. O conteúdo das palestras e discussões vai estar disponível após o evento na plataforma.


Fonte: Expointer 2019 

Foto: Carolina Greiwe / Seplag

Mostrar mais
Fechar