Cuidados com bem-estar são importantes para animais participantes da Expointer

Segundo diretor do Simvet/RS, é preciso ambientar os exemplares participantes da feira para as condições encontradas no local do evento

Estrelas da Expointer, os animais que vão desfilar pelas pistas do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), entre 24 de agosto e 1º de setembro, têm um tratamento diferenciado durante o evento. Todos os cuidados são necessários para a preservação do bem-estar dos participantes ilustres da feira para que possam ter o melhor desempenho nas provas e julgamentos que serão realizados nos nove dias da exposição.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS), João Junior, a Expointer é o palco do trabalho de diversos anos onde se busca o melhoramento genético e se apresenta o que há de melhor em cada raça. “Para isso estes animais são tratados como atletas, tendo cuidados diários com alimentação e exercícios para chegar na Expointer mostrando suas melhores qualidades”, destaca.

Entretanto, com a mudança de ambiente, cuidados são necessários ao longo do evento. Conforme o dirigente do Simvet/RS, para que os exemplares não estranhem tanto a feira é importante que os cabanheiros comecem a simular as condições do local um período antes, tais como a água servida aos animais. “Muitas vezes também se utiliza música alta nos galpões para se acostumar com o barulho, também se faz treinamentos diários dos animais desfilando para que não estranhem e façam de forma adequada no parque”, observa.

O dirigente lembra também que no parque existe uma preocupação com o estresse térmico. Ressalta que isso é algo que dentro da cabanha às vezes não se consegue fazer pelo ambiente. “Isso é uma preocupação dentro das feiras agropecuárias, o parque procura trabalhar da melhor forma para ambientar os animais, além da preocupação com o estresse com o público e o barulho, e com isso muitas vezes são utilizados fitoterápicos ou homeopatia de forma a baixar o estresse”, comenta.

O diretor do Simvet/RS reforça ainda que nas questões de genética e sanitária, também existe um trabalho forte entre os criadores e na Expointer há muitas definições de padrão genético do que se busca em cada raça. “Outra questão importante é não mudar a alimentação no evento. É sempre bom ficar atento a qualquer mudança de sinais clínicos de alguma enfermidade para entrar em contato com o médico veterinário particular ou com o médico veterinário de plantão do serviço oficial no parque”, complementa.

Foto: Ascribu/Divulgação
Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Mostrar mais
Fechar