CNA apresenta ações de combate à criminalidade no campo

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentou na quinta (12), em audiência pública no Congresso Nacional, as ações que o Sistema adotou para auxiliar as políticas de segurança pública no combate à criminalidade no campo.

Uma dessas ações é o levantamento de dados e pesquisas que é feito com os órgãos de segurança especificamente sobre a criminalidade no campo. O tema foi debatido na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados.

“Esse debate foi essencial porque trouxe à tona a questão da segurança pública rural. Conseguimos dar maior visibilidade ao tema ao trazê-lo para o Congresso Nacional”, afirmou Carlos Frederico Dias, coordenador-administrativo do Instituto CNA.

A audiência recebeu também representantes das polícias militares de Goiás, Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul, que trouxeram as experiências bem sucedidas do patrulhamento rural nos estados.

Os representantes das polícias destacaram que graças à aproximação com os produtores, hoje é possível reduzir o tempo de resposta dos chamados e coibir o crime nessas localidades.

“A patrulha rural alimenta nosso banco de dados com informações do produtor e dos funcionários. As ferramentas tecnológicas otimizam a ação da polícia”, afirmou o tenente-coronel Daniel Galvão, da Polícia Militar de Goiás.

O contato direto com o produtor também garante melhores resultados para a polícia do Distrito Federal, com redução de 57% dos crimes de roubos e furtos, segundo informou o capitão Rafael da Cunha.

O capitão citou algumas medidas como a colocação de placas refletivas nas propriedades, que ajudam as viaturas a encontrá-las, principalmente à noite, e o contato pelo celular, por meio de aplicativo de mensagens ou leitor de QR Code.

O vice-presidente da CNA, deputado José Mário Schreiner (DEM/GO), autor do requerimento para audiência pública, afirmou que a troca de experiências é importante para difundir as boas ações dos estados.

“É extremamente necessário trabalharmos efetivamente para dar segurança aos homens e mulheres do meio rural, para que possam continuar produzindo e sendo responsáveis por 25% do PIB do nosso País. Segurança rural é extremamente importante e por meio dessa audiência a gente pode trocar experiências para aprimorar o modelo de patrulhamento rural, não só no estado de Goiás, mas em todo o País”, afirmou.

Fonte: Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)
Foto: Wenderson Araújo / CNA

Mostrar mais
Fechar